60 Anos de Christian Dior

Por Juliana Andrade (revista TABU 2007)

Luz, flashes, ação! O mundo da moda girou nos arredores de Paris para assistir ao espetacular desfile de outono 2007 da Christian Dior. Não que que este seja um fato excepcional. Afinal, os desfiles da Dior são sempre muito aguardados e comentados. Mas neste ano, a ansiedade foi maior, o brilho foi mais intenso e os aplausos mais eufóricos. E o mundo aplaudiu, mais uma vez, a grife que se tornou um marco na história da moda. Em uma festa inesquecível, a CD relembrou os 60 anos de uma história de luz e sucesso.

Em janeiro de 1947 um clima novo invadiu a capital francesa. Um aroma de mudança era trazido por novos ares soprados por um visionário estilista. Alguém que sentia a ansiedade do mundo por algo que o fizesse vibrar.

Christian Dior percebeu um sonho de mudança abafado pela sobriedade do pós-guerra. As mulheres  tinham seu romantismo e delicadeza escondidos sob vestidos retos e sem formas. A moda trilhava um caminho aberto pela dureza dos campos de batalha e isso se refletia nas roupas e no comportamento durante a década de 40.

Foi então que Dior desenhou as “femmes-fleurs” e apresentou à Paris uma nova visão sobre o modo de vestir das mulheres. Ele era um mestre na criação de formas e volumes. Isso mudou o conceito de simplicidade e praticidade que dominava as roupas femininas.

Sua nova criação foi batizada de “New look” por Carmel Snow, a poderosa editora-chefe da Harper’s Bazaar. Carmel enxergou na coleção de Dior não só uma novidade. Ela viu o início de uma nova era na história da moda. Dior estava certo ao afirmar que o mundo queria algo novo após anos de escassês, guerra e trabalhos árduos. E ninguém melhor do que ele traduziu na moda esse sentimento. Todos queriam luxo, beleza, glamour.

O New Look, chamado por Dior de tailleur Bar, apresentava referências à Belle Epoque. Saias amplas e mais longas, cintura marcada e belos tecidos.

Num primeiro momento, esta nova tendência chocou uma sociedade acostumada com racionamentos e com a escassês de tecidos. Mas em pouco tempo a novidade se espalhou e mulheres em todo o mundo aderiram ao novo look. Iniciou-se então, uma era de luxo, feminilidade e romantismo. E foi essa imagem de glamour que definiu o padrão e a silhueta dos anos 50. Com seu “New Look” Christian Dior “libertou” as mulheres que carregavam o peso do pós-guerra em seus guarda-roupas. E então Paris se reestabeleceu como o centro da moda mundial.

Durante dez anos Christian Dior foi o estilista de maior fama e também o mais cultuado no universo da moda. Ícones da beleza como Brigitte Bardot, Ava Gardner e a princesa Grace de Mônaco usavam suas criações. Após somente uma década à frente da Maison Dior, o estilista faleceu e em 57 deixou o que havia se tornado um império de elegância e refinamento.

Yves Saint Laurent chegou a ser o estilista da grife no final da década de 50, após a morte de CD. Assim como Gianfranco Ferré, que assinava as coleções da Dior na década de 90. Em 1997, John Galliano assumiu a direção de criação da marca. Desde então vem emprestando todo o seu talento e olhar vanguardista a esta que a 60 anos é uma das maiores e mais importantes grifes do mundo.

E foi por esses 60 anos que Paris parou novamente em julho deste ano. Novos ares foram soprados e no Palácio de Versailles Galliano trouxe de volta a história da Maison Dior numa impressionante releitura.

A grife que construiu sua fama sobre uma base que revolucionou a moda de uma época, celebrou suas seis décadas de existência com uma festa no melhor estilo monarca. Com referência clara à era de Louis XIV, o rei que transformou Versailles em um palácio real.

Um espetacular desfile apresentou a evolução da marca desde o lendário New Look até os atuais e extravagantes vestidos de Galliano que comemorou também uma década  à frente da grife. O estilista buscou inspiração em pintores, fotógrafos e ilustradores de moda.

O tailleur Bar surge na passarela como black Bar, numa incrível releitura que trouxe à tona lembranças das dramáticas fotografias em preto e branco de Irving Pen.

As tops desfilaram como verdadeiras obras de arte em um show que remetia a pintores como Picasso, Monet, Renoir e Goya. Tudo isso ao ritmo de músicas flamencas.
Galliano, que nasceu em Gibraltar, soube dosar maravilhosamente a música espanhola com looks que criavam um clima de festa na corte francesa.

“Galliano tem muitos talentos semelhantes aos de Christian Dior.” disse Bernard Arnault, presidente da Dior e também do grupo LVMH. “Eles mesclam feminilidade e romantismo com modernidade e extravagância. Christian Dior não era clássico em 1950. Ele era um revolucionário. Hoje ele parece clássico, assim como Picasso.”

Com este espetáculo, Galliano fez uma maravilhosa homenagem a um homem  que dedicou sua vida e talento à moda. Christian Dior desenhou uma mulher de luz e cor. Transformou delicadeza e glamour em objetos de desejo que fascinam mulheres em todo o mundo.
A moda pediu vida e foi o que Dior trouxe, usando tecido para modelar sua arte.

galliano.jpg
foto: reprodução

9 Respostas to “60 Anos de Christian Dior”

  1. Rosarinha Says:

    Sou uma eterna apaixonada por cristian dior, tudo simplesmente tudo eu amo.

  2. haline Says:

    Dior é simplismente tudo….o melhor…é LUXO…

  3. marcia Says:

    quero comprar o livro ’60 anos de Dior’ voces sabem aonde eu acho???
    obrigada,
    Márcia

  4. fabiola Says:

    O mais importante que dior foi o rei absoluto outros foram só de passagem ele reinou…………

  5. Rodrigo Borba Says:

    Simplesmente amo os perfumes da Dior, as rupas são maravilhosas.
    Não tem como ir a Paris e dexiarde lembrar de Dior.Ele era Paris.

  6. luanna Says:

    Fantástico!

  7. Bruno Rafael Says:

    Dior Não foi so um Icone.
    Ele Foi A Personalidade Mais Importante da Moda Para o MUNDO.
    Não Imagino As Pessoas No Seculo 21 Com Roupas Sem Formas,
    Ou Com Tecidos Simples.
    Dior Revolucionou e Acredito Que Abriu a Mente De Muitos dos Estilistas
    Que Fazem Sucesso Pelo Mundo Hoje.

  8. zenani Says:

    eu amo a Christian Dior..eu tenho a maioria das colecções.
    são indas têm muito estilo,é a melhor para mim,é muito incomparável..beijos

  9. hudson Says:

    eu amo a Christian Dior..eu tenho a maioria das colecções.
    são lindas têm muito estilo,é a melhor para mim,é muito incomparável

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: