O Luxo da Inesquecível Bonequinha

Por Juliana Andrade (revista TABU 2007)

A moda pede cinturas marcadas, shapes mais soltos, mais luxo. Nas calças, o cós sobe e a elegância surge no melhor estilo clássico. E quando o assunto é elegância, Audrey Hepburn é sempre lembrada. Por seu estilo sofisticado, seu charme e também por sua história…

Ela era alta, tinha pés grandes e corpo esguio.
Onde naquela silhueta poderia-se encontrar algum traço, mesmo que sutil, que remetesse às tão famosas pin-ups? Onde estavam as curvas, os quadris, os olhos claros emoldurados por ondas douradas a la Marilyn Monroe?
Audrey em nada se parecia com uma pin-up. Na verdade ela carregava algo que as famosas garotas que decoravam as barracas dos soldados em pôsteres presos com alfinetes não tinham: Mistério, refinamento, delicadeza. Isso somado a um olhar doce e uma personalidade marcante.

Bailarina, ela tinha um andar leve e movimentos harmoniozos. Seu primeiro papel de sucesso no cinema aconteceu no ano de 1953 em “A princesa e o plebeu”. Por sua atuação neste filme Audrey ganhou seu primeiro Oscar de melhor atriz. A partir de então, a moça de olhos grandes e sorriso encantador conquistou o mundo. Tornou-se um símbolo de beleza, elegância e também uma fonte de inspiração para mulheres e estilistas até os dias atuais. Foi nela que Givenchy encontrou seu modelo ideal de mulher. ” Audrey Hepburn encarnou para mim um ideal feminino, por suas proporções e também por sua imagem.” Essa imagem virou sensação mundial, principalmente após o grande sucesso do filme “Bonequinha de Luxo”, onde Audrey veste criações primorosas do estilista. Uma delas, é o vestido longo preto que a atriz usa na inesquecível cena em que ela toma café da manhã em frente a uma vitrine da Tiffany em Nova Iorque. O vestido foi leiloado no final de 2006 e arrematado por 800 mil dólares.

Audrey Hepburn era assim. Diferente, envolvente, surpreendentemente bela. Uma menina nascida na Bélgica , filha de um banqueiro inglês e uma baronesa holandesa. Tinha rosto de princesa, pele de porcelana e um incrível brilho nos olhos. Uma verdadeira bonequinha. Mas não só de luxo viveu Audrey; durante sua infância ela conheceu as tristezas da guerra. Na Europa da Segunda Guerra Mundial, após ter deixado seu colégio em Londres, Audrey viveu um período de depressão e desnutrição ao lado de sua mãe na Holanda. Foi um período marcante na vida desta estrela que, sofrendo com a escassês de alimentos durante a guerra, chegou a se alimentar até de bulbo de tulipas.

Ter vivido este período triste e visto de perto a carência e a fome, talvez tenha sido um dos fatores que tenham levado Audrey a se tornar uma das mulheres de maior consciência e responsabilidade social entre os artistas. Como Embaixadora da UNICEF, ela viajou pela África e América Latina. Ajudou crianças carentes e apoiou movimentos sociais de combate ao abandono e à desnutrição infantil. ” Lembre-se que, se alguma vez precisar de uma mão amiga, você a encontrará no final do seu braço. Ao ficarmos mais velhos descobrimos porque temos duas mãos, uma para ajudarmos a nós mesmos, a outra para ajudarmos o próximo.” – Audrey Hepburn.

Mundo afora, todas as mulheres queriam ser como Audrey. Um exemplo, é a famosa cantora lírica Maria Callas, que adotou para si o visual da atriz durante a década de 50. Calças cigarretes, sapatilhas, tubinhos pretos… Tudo o que Audrey usava tornava-se sinônimo de glamour e era prontamente adotado pelas moças que adoravam seu estilo. Seu look definia o perfil da mulher chique e sofisticada que todas queriam ser. Certa vez, modestamente a atriz disse que qualquer mulher poderia ser como ela. Bastava prender os cabelos, usar óculos escuros enormes e vestidos sem mangas. Mas não era só isso. Audrey tinha brilho, luz, uma aura contagiante. Isso ia além dos incríveis vestidos que Givenchy criava para ela.

Para ser como Audrey é preciso ser chique, elegante, inteligente e acima de tudo ter consciência e ver o mundo além dos enormes óculos escuros. E aí sim, sem medo de fazer feio, poder tomar um incrível ” café da manhã na Tiffany”.

audreyhepburnok.jpg
foto: reprodução

Anúncios

4 Respostas to “O Luxo da Inesquecível Bonequinha”

  1. Leka Says:

    Concordo plenamente. Audrey é um exemplo de elegância que perpetua. Muito mais que um mito. Acho quer as mulheres deveriam se espelhar em sua simplicidade e perceber que é possível ser belíssima sem seguir padrões de beleza. Muito bom o texto.

  2. Giselle Michelle Says:

    Nossa é uma tradicional elegância!

  3. Marina Says:

    Eu leio o blog sempre, adoro os posts, acho que é moda é pura arte e expressão, e ninguem melhor pra ser a cara da moda do que a bonequinha de luxo né, sou fã incondicional

  4. Werype-online Says:

    necessario verificar:)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: